Malcata Eco Experience

10 formas inteligentes de poupar água

Dez formas inteligentes de poupar água

Poderíamos começar sobre as razões da importância de poupar água e em que medida ela é relevante para nós, humanos. Parece uma abordagem antropocêntrica, mas, na verdade, é porque somos responsáveis por esses atos. Deixaremos para a próxima publicação as razões pelas quais devemos seguir estas sugestões à risca.

Será, seguramente, do conhecimento de todos que Portugal está a passar por um ciclo de seca. De acordo com os dados do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), a percentagem de seca do território continental fixava-se em 55,2% em seca severa e 44,8% em seca extrema, durante o mês de julho. Por outro lado, no mês de junho a seca moderada ainda surge nos índices, representando 3,7% no país.

Outro dado relevante foram as altas temperaturas que se fizeram sentir em Portugal continental, em vários casos ascendendo a temperaturas superiores a 40 graus Celcius, que durou mais que uma semana. Torna-se, pois, relevante que cada um de nós seja parte ativa no racionamento da água.

Os municípios já lançaram flyers e campanhas de sensibilização. O município do Sabugal já havia lançado (em abril!!) um cartaz a sensibilizar à poupança de água. O município de Penamacor lançou um flyer com algumas dicas elementares para poupar água, como algumas que apresentamos em seguida.

Flyer do município de Penamacor de como poupar água

Dez maneiras de poupar água

1) Avalia os teus gastos de água. Geralmente, este tipo de publicação começa com um rol de dicas sobre como poupar água. No entanto, cremos que o primeiro passo deve passar por uma avaliação consciente dos nossos gastos. Essa avaliação irá permitir que interiorizes metodologias para salvaguardar este bem comum a todos. Está atento/a ao teu contador da água e faz uma monitorização regular. Não te esqueças que os dados apresentados são em m3 e cada m3 corresponde a mil litros de água.

2) Fazer um checkup à canalização de casa. Tal como o primeiro ponto, este é um dos primeiros passos a estabelecer. Uma canalização cuidada evita o desperdício desnecessário de água, além de poder salvaguardar a potenciais danos a estruturas próximas ou adjacentes.

3) Coloca reguladores de pressão em todas as torneiras. Os reguladores são equipamentos relativamente baratos. Têm um papel ativo na regulação da pressão de água e permite que se gaste menos. É um investimento que a médio-prazo terá consequências positivas no orçamento familiar.

4) Aproveita toda a água enquanto aguardas que aqueça. Este é talvez um dos processos em que há maior desperdício de água. Isto é, são muito poucos os que aproveitam a água que corre enquanto aguardam que mude a temperatura. É verdade que com este tempo estival serão poucos os que se lembrarão de abrir a torneira de água quente. No entanto, esta lógica aplica-se também na cozinha, no momento de lavar a louça ou em qualquer outro processo. O desperdício de água em cada utilização descuidada pode chegar aos dois dígitos percentuais. Portanto, aproveita toda a água que sai da torneira e verás a diferença na poupança em vários sentidos.

5) Máquinas de lavar (a roupa e a louça) cheias. Este é um cliché das medidas a adotar para poupar água. No que toca ao lavar a roupa, caso não tenhas roupa suficiente para encher a máquina, pede a um familiar ou amigo/a que possa lavar a tua roupa. É uma forma inteligente de evitar desperdício de energia e água. Por outro lado, não te esqueças de aplicar programas ECO e lavagens a frio. Quanto à máquina de lavar a louça, nem todas as pessoas possuem este tipo de equipamento. Uma maneira eficiente de lavagem e de poupar água é lavar a louça uma vez ao dia (depois de jantar, por exemplo), e usar um alguidar para lavar a louça. Nós sabemos que algumas das opções apresentadas podem suscitar confusão, no entanto, estamos plenamente conscientes que estas medidas podem ajudar a que o acesso à água se prolongue. Será que se um dia chegarmos à necessidade de racionamento terás o mindset para mudar? Ou, estás à espera de chegar ao Dia D, para mudar?

6) Água na confeção de refeições. Outra forma de poupar água é utilizar a água das nossas refeições – em especial, da massa. Esta pode servir para regar as plantas ou em outras confeções e aplicações (links em inglês).

7) Utiliza a água para regares as tuas plantas, ou plantas de rua. Já tínhamos referido este aspeto no tópico anterior. Com efeito, a água após confeção da massa torna-se nutritiva para as nossas amigas verdes. Até agora temos referido dicas para aplicarem em casa, mas também é importante aplicar em contexto institucional ou na agricultura. Em alguns momentos temos assistido a verdadeiros crimes do uso irracional da água que, seguramente, não será apenas de um poço particular, mas da rede pública. Obviamente que compreendemos que haja a necessidade de rega, contudo, não será durante o dia. Contudo, a rega noturna, tem outro impacto. Há mais humidade no ar, a água infiltra-se no sol em vez de evaporar aquando do contacto. Não devemos ignorar, nem tolerar a estupidez, e, portanto, são práticas que devem ser condenadas e alertadas junto das autoridades.

8) Duches curtos. Exclui os banhos de imersão da tua lista, embora possas aproveitar tal quando fores a umas termas. Em casa opta sempre por duches inferiores a cinco minutos e sem água a correr na hora de utilizar o champô e o gel de banho. Tem também atenção ao uso de um regulador no chuveiro.

9) Lavar o veículo à mão. Nada como o tradicional, mas apenas para o que convém, não é verdade? Uma forma de evitar o desperdício estupidamente exagerado de água é lavar o nosso automóvel com balde e esponja, em vez de recorrer a centros de lavagem automática.

10) Recuperadores de água da chuva. Além de ser uma água que deve ser utilizada para fins «não-potáveis», há países que têm legislação sobre como se deve utilizar estes recuperadores de água da chuva. No entanto, existem equipamentos próprios com essa finalidade e em acordo com a legislação em vigor de cada país. Poderão dizer-nos, «mas a minha casa não é nenhuma vivenda e, como tal, não permite a instalação desse tipo de equipamento». No entanto, há outras formas de «recuperar» essa água da chuva, por exemplo, através de mecanismos mais artesanais. O clássico balde, pode muito bem servir como armazenador. Pode-se colocar um recipiente na varanda que permita escoar a água para um balde ou garrafão. Há maneiras bem engenhosas na internet, é só pesquisarem.

Sê consciente nas tuas ações. E tu, que outras sugestões deixarias para ajudar a poupar água?

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

PT_PT
Skip to content
%d bloggers like this: